painel_sxsw

Está acontecendo em Austin, nos Estados Unidos, entre 7 e 16 de março, mais uma edição do evento de inovação South by Southwest (SXSW). A Agência Brasileira de Promoção da Exportação e Atração de Investimentos (Apex-Brasil), parceira do programa Startup Brasil, está acompanhando aproximadamente 20 empresas inovadoras brasileiras durante o evento e está mantendo também a Casa Brasil, um espaço para que os estrangeiros conheçam as oportunidades do nosso país.

No sábado, a Apex-Brasil capacitou os empreendedores brasileiros para que se apresentem com propriedade durante o evento.

treinamento_apex_sxsw

Hoje, é dia em que alguns brasileiros participam de painéis durante o SXSW. Confira algumas falas do painel “Brazilian Startup Ecosystem Introduction” (os participantes aparecem na foto de abertura desta matéria).

Bernardo Portugal, da ABVCAP: “Temos muita inovação no Brasil, temos muitas ideias, com excelentes números. Nos EUA, você tem que fazer um monte de coisa a fazer em termos de regulamentação. O Brasil está explodindo com o empreendedorismo, como uma grande alternativa. Agora, o empreendedorismo é uma grande alternativa. Por causa disso, estamos mudando nossa mentalidade. Existem desafios, o Brasil tem muitos desafios, mas temos grandes oportunidades”. “No Rio de Janeiro, as Olimpíadas trarão muitas oportunidades para o segmento de Content Marketing”.

Gustavo Caetano, CEO do Grupo Samba: “60% dos estudantes querem abrir a própria companhia mas não têm noção de como começar. Aqui nos EUA, eles têm muito mais conhecimento do que nós. Estamos criando essa cultura aos poucos no Brasil. A associação brasileira de startups está promovendo uma série de eventos para ajudar a entender essa cultura. A ideia é ajudar a construir um ecossistema em que estejamos todos juntos.”. “Vejo muitas oportunidades em comércio eletrônico, telefonia móvel, saúde, publicidade digital”.

Pedro Waengertner, co-fundador da Aceleratech: “Nós não temos apenas um segmento específico de oportunidades de investimentos no Brasil, temos vários. O comércio eletrônico é um segmento muito forte, pois já temos muitas companhias que movimentam bilhões de dólares. Temos também um grande número de negócios em publicidade digital e educação. Muitas startups estão usando espaços em mídia. Vejo muitas oportunidades nesse segmento.”

Rafael Moreira, diretor de política de tecnologia da informação e comunicação do MCTI: “Esse evento é uma oportunidade ímpar de mostrarmos o Brasil para os estrangeiros. Com a parceria com a Apex-Brasil e o Startup Brasil, vamos enfatizar as oportunidades de investimentos que existem no Brasil. E elas são várias. Posso citar educação, varejo, eventos, turismo, saúde, finanças, soluções de tecnologia da informação e logística, por exemplo”.

Flavia Egypto, Apex-Brasil: “É mais do que isso: temos a preocupação de criar empregos. Por exemplo, temos muita coisa sendo feita, mas temos muitas oportunidades. Temos muitas startups trabalhando nesse sentido”.

rodrigo_borges_buscape_sxsw_casa_brasil

A Apex-Brasil também organizou um encontro das 14 startups com investidores, inclusive estrangeiros.

BiUgcP_CEAAPmJp

Ontem, Rodrigo Borges (na foto, com a mediadora Bedy Yang, da investidora 500 Startups), um dos co-fundadores do Grupo Buscapé, foi convidado para palestrar na Casa Brasil. Algumas falas de Borges:

  • “A grande diferença entre os anos 2000 e agora é que as empresas estão mais preparadas. Houve muito aprendizado após a crise de 1999”;
  • “Criar um produto hoje é muito mais fácil do que era em 2000, porque já existe um modelo mais certo a ser seguidos. As empresas aprenderam”;
  • “Minha percepção sobre o Brasil é que temos que sempre fazer mais com menos. Ainda somos um mercado médio. Precisamos pensar globalmente desde a fundação da empresa. Temos de estar preparados para competir”;
  • “O Buscapé começou a se internacionalizar em 2005. Hoje temos operações em toda a América Latina. Levamos mais tempo do que esperávamos, mas hoje somos uma empresa global”.

IMG_0172

Fique por dentro pela página de Facebook da Apex-Brasil.painel_sxsw

Once again, the innovation event South by Southwest (SXSW) is happening in Austin, TX (USA), from March 7 to 16th. The Brazilian Trade and Investment Promotion Agency (Apex-Brasil), a partner of the Startup Brasil program, is accompanying around 20 innovative Brazilian companies during the even and is sponsoring Casa Brasil (“The Brazil House”), a space for foreigners to get to know our country’s opportunities.

On Saturday, ApexBrasil trained Brazilian entrepreneurs to present themselves assertively during the event.

treinamento_apex_sxsw

Today is the day several Brazilians participate in panels during SXSW. Check out some of the things that were said during the “Brazilian Startup Ecosystem Introduction” (the participants are in the opening photo of this post).

Bernardo Portugal, ABVCAP: “We see a whole lot of innovation in Brazil, we have lots of ideas, with excellent stats. In the US, you have to do a whole bunch of things due to regulations. Brazil is exploding with entrepreneurism as a tremendous alternative. Now, entrepreneurism is a great alternative. This is why we are changing out mentality. There are challenges, Brazil has all sorts of challenges, but we also have great opportunities.” “In Rio de Janeiro, the Olympic Games will bring lots of opportunities to the Content Marketing segment.”

Gustavo Caetano, CEO of Samba Group: “60% of students want to open their own company but don’t have a clue as to where to start. Here in the US, they have so much more knowledge than we do. We are slowly creating this culture in Brazil. The Brazilian association of Startups is promoting a series of events to help understand this culture. The idea is to build an ecosystem where we are all together.” “I see many opportunities in e-commerce, mobile phones, health and digital publicity.”

Pedro Waengertner, co-founder of Aceleratech: “We don’t have only one specific segment of investment opportunities in Brazil – we have several. E-commerce is a strong segment, since there are already many companies moving billons of dollars in value. We also have a huge number of business in digital publicity and education. Many startups are using space in Media. I see all sorts of opportunities in this segment.”

Rafael Moreira, director of information technology and communication policy at MCTI: “This event is a unique opportunity to showcase Brazil to foreigners. With our partnership with ApexBrasil and Startup Brasil, we are highlighting the investment opportunities in Brazil. There are many. I would like to cite education, retail, events, tourism, health, finances, IT solutions and logistics solutions, for example.”

Flavia Egypto, Apex-Brasil: ”It’s so much more than that: we are interested in creating jobs. For example, we have a whole lot being done, but we have all sorts of opportunities. We have lots of startups working in that direction.

Apex-Brasil also organized a meeting with 14 startups with investors, including foreign investors.

BiUgcP_CEAAPmJp

rodrigo_borges_buscape_sxsw_casa_brasil

Yesterday, Rodrigo Borges (in the Picture, with chair Bedy Yang, of 500 Startups, an investment fund), one of the co-founders of the Buscapé Group, was invited to speak at Casa Brasil. In his words:

– “The main difference between the early years around 2000 and now is that companies are better prepared. There was a lot of learning that happened after the 1999 recession.”

– “Creating a product today is so much easier than it was in 2000 because now we have a surer model to follow. Companies have learned.”

– “My worry with Brazil is that we have to do more with less. We are still a medium-sized market. We need to think globally from the get-go. We have to be ready to compete.”

– “Buscapé started going global in 2005. Today we have operations all over Latin America. We’ve taken more time than we expected to, but today we are a global business.”

Keep up with what’s happening through Apex-Brasil’s Facebook page.