Lançado em novembro de 2012 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o programa tem por objetivo apoiar as empresas nascentes de base tecnológica. O Start-Up Brasil integra o TI Maior – Programa Estratégico de Software e Serviços de TI, que elegeu as TICs entre os programas prioritários para impulsionar a economia brasileira e tem como base cinco pilares: desenvolvimento econômico e social, posicionamento internacional, inovação e empreendedorismo, produção científica, tecnológica e de inovação, e competitividade.

“Há 17 anos, a Softex foi pioneira na introdução do conceito de empreendedorismo no Brasil e disseminou a cultura de planejamento de negócios e de inovação nas pequenas e médias empresas nacionais. Portanto, fomentar e apoiar empresas de base tecnológica está no DNA da entidade”, analisa seu vice-presidente executivo, Ney Leal.

Em sua visão, ao assumir a gestão da execução do Start-Up Brasil, a Softex agrega além de sua expertise a oferta de programas complementares em diversas áreas, entre as quais inovação e qualidade. “No âmbito da internacionalização, podemos destacar também o apoio dado às empresas brasileiras através de nosso HUB em Nova Iorque e de nosso escritório comercial em Singapura”, complementa.

“Estamos felizes com essa nova fase do Start-Up Brasil, com o apoio da Softex, que vem somar esforços ao trabalho que vem sendo realizado pelo programa, trazendo a experiência de seus inúmeros projetos de apoio ao setor de TICs no Brasil e exterior”, diz Felipe Matos, COO do programa. “A equipe do programa não foi alterada. O que muda agora é que ela passa a ficar sob gestão da Softex. Ao longo dos próximos meses, deveremos estudar possíveis integrações, frutos de sinergias entre o programa e outros projetos da Softex, como os hubs internacionais em Nova Iorque e Singapura e apoios na promoção comercial”, complementa.

Realizado em parceria com 12 aceleradoras privadas localizadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte, Vitória, Porto Alegre, Salvador e Recife, o Start-Up Brasil busca apoiar empresas nascentes nacionais e internacionais com até quatro anos de existência e que desenvolvam produtos/serviços inovadores utilizando software, hardware ou serviços de TI.

O Start-Up Brasil está em sua segunda edição. A cada ano, são habilitadas aceleradoras, qualificadas e selecionadas por meio de um edital específico, e, em seguida, realizadas duas rodadas semestrais de seleção das 100 startups nacionais e internacionais que serão apoiadas pelo programa por ano. Os resultados da seleção de startups da Turma 3 será divulgado a partir de 1° de setembro e a próxima seleção de startups terá início no dia 14 de setembro.

As startups apoiadas participam de programas de aceleração. Nesta fase, com duração de 12 meses, as startups selecionadas têm acesso a bolsas para pesquisa, desenvolvimento e inovação no valor de até R$ 200 mil; a um aporte de investimento da aceleradora para inserção no mercado, que varia entre R$ 20 e 150 mil; e participam de uma série de eventos e atividades de capacitação e de aproximação com grandes companhias nacionais e internacionais, bem como com investidores; além de programas de acesso a mercado e compras públicas. Durante todo este processo as empresas são acompanhadas pelas aceleradoras e também pelos gestores do programa Start-Up Brasil.

Sobre a Softex 

A Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Softex é gestora, desde a sua criação em 1996, do Programa para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Programa Softex, considerado prioritário pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). É uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que tem como objetivo executar atividades de apoio, desenvolvimento, promoção e fomento para a Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI, sempre pautada pelas seguintes diretrizes: disseminação e auxílio à implantação das melhores práticas em desenvolvimento de software e gestão empresarial, capacitação de recursos humanos para o setor; auxílio à obtenção de recursos financeiros junto a fontes públicas e privadas; produção e disseminação de informações qualificadas sobre e a indústria brasileira de software e serviços de TI; apoio ao empreendedorismo e à inovação; formulação de políticas de interesse do setor; e apoio à criação e ao desenvolvimento de oportunidades de negócios tanto no Brasil como no exterior.

O “Sistema Softex” reúne mais de 2.000 empresas de todo o território nacional e é integrado por uma ampla rede formada por 20 Agentes regionais que prestam apoio e orientação local às empresas em seu entorno. As ações da Softex contam com o apoio institucional, técnico e financeiro de diversas entidades, entre as quais ABES, ABDI, Abinee, Abragames, Abvcap, Apex-Brasil, Anprotec, Assespro, BID, BNDES, Brasscom, CNI-SESI-SENAI, CNPq, Embrapa, Fenadados, Fenainfo, Finep, Frente Parlamentar de Informática, IBGE, INPI, SBC, Sebrae, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Ministério da Cultura (MinC), Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ministério das Relações Exteriores (MRE) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).