Rankings nacionais destacam empresas do Startup Brasil e TechD

Presença é um reconhecimento do acerto dos programas voltados ao apoio ao empreendedorismo e à inovação gerenciados pela entidade Onze startups que integram os programas operados pela Softex são destaque nos principais rankings desse segmento, confirmando o acerto do trabalho desenvolvido pela entidade no sentido de viabilizar as condições para o surgimento e o fortalecimento de empresas de base tecnológica em todo o país. Exemplo disso é a lista “100 Startups to Watch”, desenvolvida em parceria entre as consultorias Corp.vc e EloGroup com as revistas Pequenas Empresas & Grandes Negócios e Época Negócios. Nela, estão presentes cinco empresas integrantes do Startup Brasil que oferecem soluções para diferentes áreas. São elas: Squid (Marketing e Vendas), Memed (Saúde e Bem-Estar), Signa (impacto), TownSq (Gestão) e Agrosmart (Agronegócio). Outra importante relação, elaborada pela plataforma 100 Open Startups, incluiu mais quatro empresas também ligadas ao Startup Brasil em sua classificação anual. Duas dessas empresas, a Opinion Box [...]

2019-09-05T16:20:58-03:00setembro 5th, 2019|0 Comentários

Lei Geral de Proteção de Dados: como a LGPD afeta o seu negócio?

*Por Paulo Salvador Ribeiro Perrotti   Em 15 de agosto, o presidente Michel Temer sancionou a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que visa impor regulamentações em uma área que, até então, carecia de proteção nacional: a de dados pessoais. Contextualmente, a lei veio em boa hora, pois, com a criação da General Data Protection Regulation (GDPR), comumente conhecida como lei europeia de proteção de dados, e com o escândalo do Cambridge Analytica que violou os dados pessoais de mais de 440 mil brasileiros, as empresas brasileiras corriam riscos de não poder mais realizar transferências internacionais de dados com países membros da União Europeia. Porém, como a LGPD afeta o meu negócio? A LGPD atinge todas as empresas que coletem, controlem e processem dados pessoais de indivíduos que se encontrem em território brasileiro, ou seja, de dados que se originam no Brasil. A GDPR tem a mesma lógica, entretanto, com [...]

2019-07-06T02:38:24-03:00setembro 13th, 2018|0 Comentários

3 Maneiras de manter sua empresa segura contra ameaças digitais

* Por Leonardo Cooper  Na luta contra o crime cibernético, as empresas devem esperar que as coisas continuem piorando antes de melhorar. Com mais de 2.7 bilhões de dispositivos on-line em 2017, as empresas perceberam que a superfície de ataque - ou o número de vulnerabilidades exploráveis ​​- expandiu-se significativamente. E com mais coisas a serem protegidas, o ano começou com 918 violações de dados relatadas durante os primeiros seis meses, um aumento de 164% em relação ao ano anterior. O ano terminou com vários ataques devastadores, incluindo a violação da Equifax e muitos ataques do malware WannaCry. Infelizmente, a solução para este problema ainda não está à vista. Mais de 2.8 bilhões de dispositivos IoT estão entrando em operação neste ano de 2018, e as violações de dados individuais custam, em média, 1.3 milhões a empresas maiores e 117.000 a pequenas e médias empresas, de acordo com o Relatório do Kaspersky Lab. Os dias [...]

2018-09-06T15:16:53-03:00setembro 6th, 2018|0 Comentários

O Direito na vida das Startups

*Por Euclides Pereira Pardigno Embora hajam dúvidas a respeito do que é uma startup, a conotação não é a mesma de uma “empresa” nos moldes jurídicos convencionais: para uma empresa convencional, há um público-alvo, uma região geográfica delimitada e um produto ou serviço sobre o qual se planeje lucratividade certa, a despeito da concorrência para o segmento. Entretanto, quando se fala de startups, estes parâmetros sofrem nítidas variações, pois inicialmente, mesmo antes de existirem juridicamente, já se considera que elas existem como “modelo de negócios”; via de regra, somente será dada existência jurídica para a startup quando ultrapassada a fase da ideação e ainda, depois de terem sido feitas as necessárias validações. A concepção do que é uma startup envolve a análise do cenário e do modelo de negócios, o ambiente de incertezas, assim como a possibilidade de repetição e de escalabilidade, o que difere substancialmente das empresas convencionais, onde [...]

2018-08-30T12:14:28-03:00agosto 30th, 2018|0 Comentários

Criptoativos: Utility Tokens, Security Tokens e a Regulação Brasileira

*Por Paulo Salvador Ribeiro Perrotti Cada vez mais, a tecnologia se alia ao direito para gerar novas possibilidades de negócio. Estamos vivenciando, neste momento, o que é chamada de Quarta Revolução Industrial, que é a consolidação da “Internet de Valor”, que utiliza a tecnologia Blockchain como plano de fundo, o que possibilita e viabiliza diversos tipos de investimentos a novos tipos de ativos financeiros. Tal fenômeno ficou conhecido como “efeito Ethereum”, no qual diversos criptoativos foram criados baseados nessa plataforma, tendo em vista as suas inúmeras funcionalidades e segurança, promovendo a diferenciação entre o conceito de criptoativo e criptomoeda (como é mundialmente conhecida), no qual a primeira é gênero, e a segunda espécie. Em suma, os criptoativos se dividem em duas categorias: a de criptomoedas, de blockchain própria e que, por isso, são Utility Tokens por natureza; e a de tokens, de blockchain de terceiros e que, à partir dos [...]

2018-08-23T10:57:56-03:00agosto 23rd, 2018|0 Comentários

Por que grandes empresas e startups devem se relacionar?

Por Vinicius Roman*   Quase todas as indústrias têm sido de alguma forma desafiadas pelas startups, motivo este que tem gerado novas formas de interação entre estas organizações, denominadas Corporate Startup Engagement (CSE). De fato, as grandes empresas enfrentam muitos desafios para desenvolver novas soluções e incorporar tecnologias externas e práticas inovadoras, em parte devido à sua inércia organizacional, estrutura complexa e pressões para excelência operacional. Por outro lado, as startups possuem uma estrutura mais leve, que permite o desenvolvimento mais ágil e eficiente das soluções, sem muita burocracia organizacional, porém com grandes limitações especialmente de capital e acesso a mercado. Neste contexto, o estabelecimento de relações com startups é uma forma promissora para que as empresas aprendam e alavanquem sua competitividade, uma vez que as empresas iniciantes atuam como uma fonte de novas ideias e oportunidades de negócios. Além disso, as empresas podem se beneficiar da interação com o [...]

2018-08-16T10:45:44-03:00agosto 16th, 2018|0 Comentários

Ano 3, Turma 5, novos desafios

por Heygler de Paula*   Para todas as pessoas que passam no processo seletivo do Programa StartUp Brasil eu costumo dizer que o trabalho não é nada rotineiro. É uma aventura de desbravamento de novas metodologias e jurisprudências. Isso porque se de um lado ele foi definido como uma iniciativa pioneira em 2012 e tinha como objetivo inicial apoiar o movimento de aceleradoras, por outro lado ele hoje tomou uma forma de entrega de soluções a diversos ecossistemas de inovação no país, do Amapá ao Rio Grande do Sul. É uma política pública pioneira de iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com uma modelagem onde startups são investidas a fundo perdido pelo Governo, desde que convençam uma aceleradora pré-selecionada a investir primeiro. Para sua execução, conta com a Softex, uma OSCIP executora de políticas públicas do Governo Federal para o setor de TI, que auxiliou a [...]

2018-08-08T22:08:48-03:00agosto 8th, 2018|0 Comentários

Como escolher e o que esperar de um bom mentor

Por Robert Janssen* A jornada do empreendedorismo é repleta de incertezas e riscos para um empreendedor, especialmente para os inexperientes. Não existem maneiras diretas de construir um negócio, pois a dinâmica muda com muita frequência, em um ambiente de negócios complexo dentro de contextos onde a velocidade da mudança é uma constante. Empreender exige grandes sacrifícios e desprendimento, enquanto determina uma atitude de resiliência e foco. Durante a fase de validação de produto e mercado, se está ainda empreendendo em diversas atividades que supostamente podem levar a uma consolidação de produto. Uma vez que se consegue chegar a um nível mínimo de maturidade e tração, o verbo a ser conjugado muda de empreender para “empresariar”, pois é necessário entender as nuances para construir uma empresa e de administrar um negócio. Infelizmente, as instituições com foco na formação profissional apenas ensinam a teoria dos negócios, mas falham em não desenvolver as práticas [...]

2018-08-06T09:59:22-03:00agosto 3rd, 2018|0 Comentários

Quando a startup deve se preocupar com a sua propriedade intelectual?

Por Maysa Zardo* Quando conversamos sobre a importância da propriedade intelectual com as startups, o que notamos é uma resistência em fazer com que os empreendedores acreditem que se trata de assunto de extrema relevância. Seja porque a startup cria suas próprias marcas ou desenvolve suas próprias patentes e seus programas de computador, por exemplo, ou, ainda, porque a startup precisa ter a certeza de que, a exploração de qualquer um desses ativos não lhe trará problemas como infração a direitos de terceiros, detentores de ativos semelhantes ou idênticos, criados ou desenvolvidos em um momento anterior. Considerando que a maioria das startups atua em setores de rápida evolução tecnológica e que tais startups passam boa parte do seu tempo dedicadas a criação de produtos ou serviços inovadores, a proteção dos direitos de propriedade intelectual relacionados a tais produtos e/ou serviços certamente gerará maior segurança e, em determinados casos, aumentará o [...]

2018-08-03T17:20:27-03:00julho 25th, 2018|0 Comentários

I-WAY expansão internacional para startups

Softex lança iniciativa e espera apoiar até 40 startups na interação com mercados e ecossistemas globais A Softex, em conjunto com a Apex-Brasil e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), e com o apoio do Programa Startup Brasil, anuncia o lançamento do IWay – Growth Mindset, uma iniciativa de cultura e expansão internacional de empresas nascentes de base tecnológica. De acordo com as métricas da Fundação Dom Cabral e da Apex-Brasil, a Softex propõe três eixos estruturantes para ações empreendedoras no mercado global de TI – atitude, conhecimento e operacionalização – todos cobertos pelo IWay. Nesse sentido, estudos realizados pela Softex com empresas de TI identificaram que as startups nacionais apresentam perfil de atitude, mas indicam uma lacuna de conhecimento para operacionalizar negócios no exterior. De 710 empresas, de diversos portes, que buscaram a expansão internacional entre 2014-2018, 17% apresentam muita atitude e pouco conhecimento com relação [...]

2018-06-28T14:42:04-03:00junho 28th, 2018|0 Comentários